domingo, 21 de janeiro de 2007

Época de Saldos

Adoro quando vamos a centros comerciais e a Mekinha me arrasta para as lojas de pronto a vestir.
Sei dar os meus palpites, num simples relance consigo dizer que roupas lhe ficam bem. Ela fica especialmente linda em roupas vermelhas, mas também gosto de vê-la de amarelo ou cor de laranja.
As minhas lojas preferidas são a Bershka e a Stradivarius. Adoro a música ambiente dessas lojas. Aliás, adoro o ambiente todo. Se agora fosse puto, tentava trabalhar numa Bershka. Deve ser muito mais fixe do que bulir num McDonald’s, onde se passa o tempo todo a levar com cheiro de comida nas ventas.
Para um chavalo, trabalhar num local repleto de miudas deve ser impecável. Melhor que isso, só sendo cabeleireiro de senhoras.
É curioso que a malta tende a pensar que a melhor profissão do mundo é ser ginecologista. Não concordo. Um ginecologista lida imenso com vaginas doentes. Daquelas vaginas infectadas e a segregar corrimentos mal cheirosos. Isto causa, naturalmente, fastio por vaginas. Aposto que existe por aí um estudo científico qualquer onde se revela que os ginecologistas são de longe, os homens que menos realizam a prática do cunnilingus (minete).
Boa profissão é ser cabeleireiro de senhoras, isso sim. Reparem que quase ninguém toca no cabelo duma mulher. Tirando o marido e o amante, não resta mais ninguém senão o cabeleireiro. Acredito que, muitas vezes, cabeleireiro e amante tendem a fundir-se numa só pessoa. Só não acontece mais vezes porque, estranhamente, cabeleireiro de senhoras é uma profissão onde abundam muitos maricas.
Digo estranhamente porque, eu, se fosse maricas ia trabalhar para um estaleiro naval ou então embarcava num navio. Quero dizer, ia para um sítio onde houvesse muitos homens, entendem ?
Agora, ser cabeleireiro de senhoras não é lógico. Para um maricas que interesse pode haver numa profissão onde quase só se lida com mulheres ? É por estas e por outras que eu nunca hei-de entender a maricagem. Já me basta entender as mulheres.

4 Comentários:

Anonymous xs disse...

Para mim os maricas são como os Bielorrusos, sei que existem mas não os compreendo.

21/01/2007, 21:57:00  
Blogger Conceição Bernardino disse...

Divinal


Amigo,
Parte integral de liberdade
Alguém com quem saboreamos tudo
Expulsamos o preconceito, ambiguidade
A quem oferecemos o olhar mudo
Amigo,
Não importa quem és,
De onde vens
Se estás presente ou ausente!
Amigo,
Alguém que sinto
Que está sempre comigo...

Conceição Bernardino
Tenham uma boa semana com muito amor

Meus blogs http://amanhecer-poesia.blogspot.com

http://sentidos-visuais.blogspot.com

22/01/2007, 08:53:00  
Anonymous Anónimo disse...

Ora aqui está posto em palavras aquilo que me passava pela cabeça.
Está na hora de se fazer uma colectânea destes textos e enviar para o ISPA, ou melhor para a Católica onde uns textos de apoio dariam jeito.
Um abraço ao mestre.

22/01/2007, 15:22:00  
Anonymous Anónimo disse...

Lol no meu curso acontece isso... ainda hj fui entregar o relatorio de estagio e tive de interromper uma aula de primeiro ano... tavam uns mocinhos a apresentar trabalho... ai senhores que eram tao coisinhos a falar

22/01/2007, 16:27:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial