quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O que se passa com as mulheres ?

Dizem elas que nós, os homens, somos tarados. A culpa é delas, que nos inspiram e obrigam a variações.
Vamos começar por aquela a quem chamaremos mulher Zombie. Parece viver em estado catatónico, indiferente ao mundo exterior. Ficamos divididos entre a vontade em chocalhá-la, a ver se acorda, ou enfiar-lhe uma litrada de Red Bull pela boca abaixo (embora eu, pessoalmente, considere que para este tipo de gaja, várias sessões de sexo depravado, com especial ênfase no sexo anal, ainda é o tratamento com a eficácia mais surpreendente).
No outro extremo das classes de mulheres temos a mulher matraca, que se caracteriza basicamente por não conseguir permanecer calada. Está provado cientificamente que o broche, enquanto prática sexual, foi inventado na época do paleolítico (ou até antes) por homens que costumavam copular com este género de mulheres.
Se no caso da mulher Zombie, os movimentos corporais durante o acto sexual são raros e quase sempre de natureza reflexiva (derivado, por exemplo, dumas palmadas no rabo); já no caso da mulher matraca em regra o problema prende-se com movimento a mais. Há quem especule que a prática do Bondage surgiu justamente da necessidade de amenizar tal distúrbio. Se bem que a posição do missionário e a língua na boca delas, em casos menos graves já seja o suficiente para controlar a doença. Sobretudo se o macho pesar mais de 130 Kilos.
No intervalo das duas categorias de mulher anteriormente apresentadas, é possível encontrar a rapazona. Convém desde já diferenciar a rapazona da lésbica. Enquanto a lésbica é aquela fêmea de mente aberta que a gente não desdenharia saltar para a cueca, de preferência junto com a namorada (dela ou nossa); a rapazona é a tipa amiga que ao beber cerveja, passa a mão previamente pelo gargalo da garrafa, bebe a mini em dois tragos, depois arrota e desata a discutir futebol com a malta.
O defeito da rapazona até nem é o querer papar-nos, o verdadeiro problema é ser feia como a porra. No entanto, isso não impediu a rapazona de, também ela ter tido o seu papel na história da inovação sexual. A rapazona deu origem à prática do sexo em estado de embriaguez (do homem). Contudo, o seu principal mérito em termos sexuais foi ter sido a grande inspiradora da foda à canzana.
.
Em breve continuaremos esta abordagem sobre os vários tipos de mulheres e o seu contributo para as diferentes práticas sexuais.

Etiquetas: , ,

4 Comentários:

Blogger Dexter disse...

Brilhante!! AHAHAH!

16/09/2009, 17:38:00  
Anonymous Isolda disse...

Bino? why?

http://cagalhaointelectual.blogspot.com/
http://dkblogue.blogspot.com/

16/09/2009, 23:11:00  
Blogger Joshua disse...

E para quando uma dica sobre as mulheres quase perfeitas?
Lindas, maravilhosas e terrivelmente inteligentes como eu?

22/09/2009, 19:36:00  
Anonymous candida disse...

isto tá bonito tá.

:)

22/09/2009, 22:16:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial