quinta-feira, 16 de fevereiro de 2006

Barradas no dia dos namorados.

Dia dos namorados, andava eu a passear numa grande superfície comercial em busca duma prenda para a minha Bunitchinha, quem havia de encontrar ? Pois nem mais nem menos que o meu amigo Barradas.
Então, ó paneleiro que andas aqui a fazer ? e ele, olha o Bimbo do caralho. Na volta, a mesma merda que tu: ando a comprar as prendas do dia de São Valentim.
Foda-se, eu a pensar que andavas a ver as gajas, o que é que vais comprar ?
Os olhinhos do Barradas iluminaram-se: se calhar pensavas que ia armado em José para a fila da florista, não ? Eu já te digo o que é que vou comprar. Fez uma pausa e a seguir disse-o acentuando cada sílaba: Lin-ge-rie !
Ena ! Barradas, tu andas muito atrevido. Bino, vou comprar lingerie porque um gajo esperto é isso que lhes compra. A prenda é delas mas o gozo é nosso.
Dei um sorriso em sinal de aprovação e entrámos numa loja da especialidade.
Depois duma breve vista de olhos, o meu amigo resolveu dirigir-se a uma das empregadas no balcão. E comigo ao seu lado, o Barradas lá ia explicando à menina que queria comprar duas prendas, dois tamanhos diferentes. A saber, se a memória não me falha, além das cuecas, qualquer coisa como soutiens do tamanho 40 copa D e tamanho 34 copa B.
Eu e a miúda do Balcão, que não era gira mas era sexy (e inteligente) começámos a topar que o Barradas tratava de comprar simultaneamente a prenda para a esposa e para a amante. E com justiça salomónica, o Barradas comprava modelos iguais para que nem a esposa, nem a amante tivesse prenda melhor ou pior.
Já escolhidos os modelos, por sinal bem giros, ambos em padrões de leopardo a fazerem-me lembrar o template deste blog, o Barradas é subitamente abordado por um indivíduo que acabara de entrar na loja e lhe dá um toque nas costas.
- Desculpe, mas você não é o Barradas, genro do Lopes ?
E o Barradas virando-se para trás, muito surpreendido, confirmou tudo. Que sim senhor, era ele mesmo, o Barradas.
O outro apresentou-se como sendo o Pina, pelo que entendi - amigo do sogro do Barradas. Gera-se então, um pequeno diálogo feito de cumprimentos e as perguntas usuais sobre o estado de saúde dos familiares.
Pela postura corporal rígida e as frases curtas que dizia, senti que o Barradas estava a sentir-se comprometido pela inesperada presença ali do Pina.
Nisto, a menina do balcão interrompe a conversa para pedir instruções acerca de como deveria fazer o embrulho das prendas. E o malandro do Barradas, muito atrapalhado lá foi explicando que as prendas podiam ir juntas, no mesmo embrulho, porque eram para a esposa e para a filha.
Eu e a miúda da loja trocámos um olhar cúmplice e, nas costas do Pina, tentei suster o riso tanto quanto me foi possível.

3 Comentários:

Blogger pisconight disse...

HAHAHA
O Barradas teve depois que abrir a prenda e fazer dois embrulhos. E a culpa é do Pina!!!
;)

16/02/2006, 16:14:00  
Blogger XS disse...

O Pina... pinou-o!!!

16/02/2006, 18:46:00  
Blogger heidy disse...

Pina pinou-o??? nã!! o pina lixou-o. Assim tá bem melhor.

22/02/2006, 23:12:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial