quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Dia sem carros e outas merdas promovidas pelo "tal lobby"

A Mata da Machada é um local paradisíaco perto de mim onde uma vastidão de pinheiros, sobreiros e outras árvores é recortada por inúmeros caminhos florestais que as pessoas aproveitam para lazer. Eu próprio, apesar de indivíduo sofisticado que sou, já várias vezes experimentei a simplicidade de curtir o verde na tal Mata da Machada. Algumas pessoas correm, outros escondem-se atrás das moitas, mas sobretudo muitas famílias aproveitam para caminhar pelos caminhos, admirar o arvoredo ou escutar o canto dos pássaros, despreocupadamente.
Mas despreocupadamente é só até ao momento em que de repente, numa curva fechada ou numa lomba surge um bando de idiotas pedalando velozmente em bicicletas BTT. O perigo de atropelamento é constante, pondo em perigo tudo e todos, incluindo crianças e idosos, sem que as autoridades competentes façam algo para impedir o abuso.
Que se há-de fazer? Andar de bicicleta tornou-se moda quando alguém percebeu que o ciclismo é dos raros desportos cuja prática implica um papel activo (ou deverei dizer passivo?) do rabo, concretamente com o selim enterrado nele. Não deixa de ser sintomático o facto de até hoje raramente ser visto mulheres a praticar BTT.
Quando passo de carro na estrada que dá acesso à Machada, encontro muitos ciclistas que para lá se dirigem. Já várias vezes que só a muito custo consegui evitar a tragédia de cilindrar com o meu bólide um ou dois desses gajos das bicicletas. Parece que fazem questão em atrapalhar o trânsito e não se chegam para a berma. Quando os vejo interrogo-me sempre onde estarão naquele momento as mulheres daqueles fulanos. Será que ficam em casa a limpar os tachos e eles na boa a esfregar a peida na bicicleta ? Estes gajos não têm nada de melhor para fazer? Porque não escrevem blogues, caralho?
A segunda interrogação que me ocorre tem a ver com pêlos. Com a desculpa das massagens, os ciclistas depilam as pernas, mas será que o fazem só até aos calções ou rapam-se até à cintura, de forma a dar à peida um aspecto feminino?
(era uma pergunta retórica my friends, consigo imaginar a resposta).

Etiquetas:

7 Comentários:

Blogger maria_arvore disse...

Quem não tem que fazer faz colheres e quem não tem blogue tem de pedalar noutro lado. Talvez já não use as outras duas rodas.

26/09/2008, 00:01:00  
Anonymous Anónimo disse...

Olá,
Quero anunciar no site de vocês
Entre em contato através do email thayromoraes@gmail.com, qual é seu MSN?

Att,
Stroke

26/09/2008, 15:05:00  
Blogger Fallen, The Countess disse...

Kakakakaka...arre... bando de texugos pedalantes... Era passa-los a todos a ferro!!

03/10/2008, 21:10:00  
Blogger Ana Camarra disse...

Pois não sei!
O meu gajo pedala mas não tira a pelagem, o meu puto também.
Mas tens razão há uns taraditos que só apetece passar com o carro por cima...
Ainda bem que voltaste!

beijos

08/10/2008, 14:49:00  
Anonymous Xico Sousa disse...

Caro Bino,
Concordo inteiramente com o teu ponto de vista. Na minha juventude, pegava nas Mirindas, levava-as para a mata e era cada fueirada que elas até subiam pinheiros de costas...
Agora, corremos o risco de vir da mata com um guiador shimano de carbono com 39 velocidades enfiado na bilha.

12/10/2008, 22:17:00  
Blogger Fernando disse...

Oi, grande Binoc,
como dizem as más linguas, as boas também, quem não é morto, as vezes aparece!
Pois, aqui estou, pronto, inicialmente para apoiar a sua campanha de erradicação dos ciclistas de merda, com suas peidas enterradas orifício anais adentro.
Cá, como por ai, eles abundam (sem trocadilho,rsrsrsr)
No mais, o puta prazer de estar visitando o amigo, com a promessa de mais vezes estar por aqui.
abração
fernando cals

30/10/2008, 19:21:00  
Blogger heidy disse...

Eu sou apologista dos pobres ciclistas - só para ser do contra-! No fundo... no fundo... queres é estar no meio deles. Ah pois...

11/11/2008, 21:30:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial