terça-feira, 20 de maio de 2008

Os devaneios homossexuais do Barradas (parte 1 - contada na 1ª pessoa )

Acabado o sexo, fumávamos os dois um cigarro a meias. Na cama de casal do quarto dos meus pais repousavam os nossos corpos nus, encostados um ao outro, em suprema felicidade. De repente um ruído e o inesperado acontece, abre-se a porta do quarto e vejo os meus pais. Por um instante parece que o tempo pára, ficamos imóveis a olhar para eles e eles para nós .
Refaço-me da surpresa, salto da cama como uma mola e fico de pé. Envergonhado, encolho-me enquanto tapo o meu sexo com as mãos. O chão parece-me fugir debaixo dos pés. Os meus pais fazem cara de quem não acredita no que vêem. A minha mãe decide recuar para o corredor e desata num pranto lancinante. O meu pai decide fazer-se forte e entra no quarto onde o ar ainda tresanda a pecado. Paramos frente a frente, baixo os meus olhos incapaz de encarar os dele. Quase que não sentimos esgueirar-se por nós um vulto semi nu, saindo porta fora, com o resto das roupas numa mão e os sapatos na outra. A minha mãe solta um grito à sua passagem pelo corredor.
Finalmente o meu pai decide falar:
- Acabas de matar os teus pais de vergonha.
- Mas Paizinho... Não é o que estão a pensar.
- Não ? Então diz-me: qual o sexo daquela criatura com quem estavas na cama ?
- Era... era um homem. - O meu pai repete-me com desprezo:
- Um homem, tu tens a lata de dizer que estavas com um homem...
- Paizinho, ok, eu menti, quero pedir desculpa por não vos ter esclarecido acerca da minha verdadeira opção sexual.
- Agora é tarde, filho. Eu e a mãe já estávamos desconfiados com as tuas tendências. Não queríamos acreditar, mas agora tivemos a prova. Estavas com uma mulher.
- Sim, confesso que menti. Na verdade, não sou gay ! Sim, eu estava a comer uma gaja.
- Como foste capaz de esconder-nos a tuas verdadeiras tendências durante todo este tempo ? Então e as manifestações de orgulho gay em que participaste ?
- Tudo tanga, Pai. As fotografias que vos mostrava eram falsas. Na realidade eu agarrava no dinheiro que vocês me davam para as passagens e esturrava tudo em putas e copos com os amigos.
- E a tua carreira política, filho ? Nós sonhávamos que um dia serias eleito Presidente da Câmara. Talvez líder do partido, quem sabe até 1º Ministro. Político Gay assumido agora é moda, eleição praticamente garantida, tu sabes disso. Vais desperdiçar todo esse capital político ?
- Lamento, mas não posso esconder por mais tempo, eu só quero é gajas. Que se lixe a política.
- Mas porquê filho ? Porque mentiste ?
- Ora Paizinho, consegue imaginar a quantidade de malucas que eu comi à pala de passar por paneleiro, todas a quererem fazer de mim um homem macho ?

Etiquetas: ,

4 Comentários:

Anonymous Cândida disse...

no princípio não estava a entender :)

20/05/2008, 19:35:00  
Blogger maria_arvore disse...

lol lol lol

Mestre, este está de Mestre! :)

Perdeu-se um político paradigmático do panorama nacional, com futuro quiçá até como PR, mas Portugal ganhou um homem e algumas mulheres felizes. :)

20/05/2008, 23:02:00  
Blogger Talk Talk disse...

Ah ganda Barradas!
Ehehehehe

21/05/2008, 12:13:00  
Anonymous calcadinho disse...

Acabei por não perceber se estavas a comer a gaja ou a comer no cù. Explica, não te envergonhes. Dizem que não há melhor prazer que o cagar. Dizem os entendidos que levar no cú é o mesmo que cagar para dentro.

13/01/2009, 22:05:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial