terça-feira, 21 de agosto de 2007

(continuação do post anterior)

A história dos meus amigos - Parte 2
.
A contorcionista francesa que ingressou no Romagnoli em 1976, era artisticamente conhecida por Stephanie, embora o seu verdadeiro nome fosse Natércia e, de facto, tivesse nascido em Alcochete.
Não obstante, Stephanie insistia em exprimir-se na língua de Alexandre Dumas e gostava de se apresentar na condição de estrela internacional gaulesa.
O talento de Stephanie, contudo, era medíocre. O seu sucesso na arte circense baseava-se sobretudo numa aparência física excepcional, composta por um corpo de sonho (que só dava vontade de comer) e um rosto incrivelmente belo, cuja boca só apetecia beijar (ou pior).
E era graças a essa beleza corporal de Stephanie, maximizada por um bikini minúsculo, que um número de contorcionismo perfeitamente banal se transformava num espectáculo soberbo, particularmente interessante pela sua sensualidade. *1
Stephanie era uma artista excepcionalmente bem remunerada. A forma como decorreu a negociação do seu contrato com Cabrita, ainda hoje permanece nos anais da história do circo Romagnoli, como símbolo de firmeza e engenho negocial.
Reza a lenda que, após uma longa série de reuniões no gabinete de Cabrita, as partes não conseguiam entender-se relativamente aos valores a receber por Stephanie. A francesa queria mais, mas Cabrita recusava-se, repetindo que não havia dinheiro. Então, disposta a jogar uma cartada decisiva, Stephanie convidou Cabrita para realizarem nova ronda negocial, mas desta vez só os dois, num ambiente mais íntimo, na roulotte da artista.
Ele, embora percebendo a marosca, corajosamente concordou. Stephanie achou que já o tinha no papo.
Mas Cabrita era muito hábil. Embora comparecendo no dia combinado, cumpriu a regra dos bons negociadores, chegando com cinquenta minutos de atraso e apenas para repetir o mesmo de sempre: que a companhia não tinha dinheiro que permitisse pagar mais.
Os Aparícios, naqueles dias, andavam também a negociar os valores da renovação do seu contrato e estavam muito interessados em saber qual a verba que Stephanie iria ganhar. A ideia era exigir ao Cabrita o suficiente para continuarem a ser os artistas mais bem pagos do Romagnoli e portanto, nunca menos do que Stephanie. Mas, por outro lado, também não queriam pedir um valor excessivo que ofendesse o Cabrita.
Dispostos a obter tão preciosa informação, decidiram espiar as negociações indo encostar-se ao exterior da roulotte, espreitando pela janela e tentando escutar a conversa entre Cabrita e Stephanie
No interior da roulote o tempo arrastava-se. Cabrita continuava irredutível. Stephanie, percebendo a firmeza do empresário, optou por fazer o que tinha planeado (lançar a bomba atómica). Pediu licença, retirou-se, e alguns segundos depois regressou praticamente nua.
A pretexto de querer mostrar uma novidade que pretendia introduzir no seu número, Stephanie havia-se livrado das roupas e trazia agora apenas um bikini escandaloso, em tons de leopardo, próprio das actuações em pista.
Era nítido que a contorcionista pretendia atingir o seu objectivo através do assédio sexual.
Permanecendo sentado, Cabrita tentou manter a fleuma, mas não tardou que o suor lhe alagasse toda a fronte. As dimensões reduzidas da roulotte obrigavam a que Stephanie, ao exibir-se, quase roçasse o corpo na sua cara.
Lá fora, face ao que assistiam, os Aparícios temeram pelo seu estatuto de artistas mais bem pagos da companhia. Interrogaram-se: conseguiria Cabrita resistir e continuar a dizer que não?
.
(continua, quando as autoridades o permitirem e a mim me apetecer)
.
*1- Digamos que era uma sensualidade muito apreciada pelo público masculino, que no final do número sempre aplaudia delirantemente (mas nunca de pé).

Etiquetas: , , ,

7 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

escreve lá essa bosta duma vez pá.

22/08/2007, 11:23:00  
Anonymous Anónimo disse...

Valeu a pena esperar tanto tempo pela continuação da história, espero que o próximo capítulo não demore tanto.

22/08/2007, 16:54:00  
Blogger Fernando disse...

Oi, Bino,
algum progresso, mas ainda longe do que a platéia reclama.
Mais, gritamos, queremos muito mais.
Resistirá o Cabrita?
abraços

24/08/2007, 22:44:00  
Blogger Erecteu disse...

Não darás muitas mas as que dás são boas.
Entretanto:
Para pintelho branco, vais no caminho quase certo, mas para além da pinça convém uma generosa aplicação de Vick, sim Vick Vaporabo.
Não quero que te falte nada. Segue a bolsa que perdeste, tens é que ativá-la, pois o Camel anda estafado.
Tomei nota da técnica de aumentar as audiencia: não escrever, boa.
Um abraço

25/08/2007, 08:24:00  
Blogger heidy disse...

Autoridades? lol eláh! Afinal não sou a unica a querer fugir. lol Olha lá... no meio desse publico masculino, não existiria umas quantas lésbicas pá? não discrines! :)

besus for the cat


xp- Tu foste no domingo... eu fui ontem! :p

25/08/2007, 14:54:00  
Anonymous easy/cao cansado disse...

oh! meu malandro! continuas desbocado e com a piada de sempre!
eu ando a tentar "regressar"...se tiveres tempo (entre duas f...)passa lá por casa e comenta
1 abraço
easy

27/08/2007, 16:37:00  
Anonymous invejoso disse...

Fez-me lembrar nas negociações do Nuno Santos com a Merche Romero: depois de ela se ter ido embora em directo, o que o sr director logo classificou de "inadmissível e inaceitável", foi discutir o assunto em privado e toma lá um programinha só teu que é para não te chatearem.
Antes da estrei o sr director não resistiu e marcou outro encontro para "acertar pormenores".

10/09/2007, 02:35:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial